Notícias

Dois universos se encontram no 'lugar mais descolado do mundo': Istambul, na Turquia

Não importa o quanto você conheça do mundo: Istambul vai lhe impressionar. Basta parar em seu bairro mais antigo, Sultanahmet, ver-se cercado pela grandiosidade de monumentos como a Mesquita Azul, Haghia Sofya, o Palácio Topkaki e mais um punhado de mesquitas e minaretes, para atingir a fase do deslumbramento. Na etapa seguinte, mais racional, você vai entender que tudo isso faz sentido uma vez que a principal cidade da Turquia é nada menos que a antiga Constantinopla, com seus quase dois mil anos de história.

Vista da Cidade Velha e das águas do Chifre Dourado a partir da Torre Galata, em Istambul

 Mas é preciso chegar às margens do Estreito do Bósforo, que corta Istambul, para atestar geograficamente o porquê de ela ter sido protagonista de tantos episódios históricos. Trata-se da única cidade do mundo com um pé na Europa e o outro na Ásia. O que é literal pode ser metafórico também: Istambul fica todo tempo neste limiar entre Oriente e Europa, entre a tradição e os novos ventos.

Séculos de história

Algumas cidades belas demais acabam se tornando museus para turistas. Istambul foge à regra. É uma cidade que tem alma, movimento e se reinventa ao longo dos séculos.

Istambul começou como Bizâncio, assentamento grego estrategicamente posicionado no ponto onde o Estreito do Bósforo - que une o Mar Negro ao Mediterrâneo, possibilitando rotas comerciais entre Ásia e a Europa - adentra o continente num braço de 6,5 quilômetros de águas calmas e profundas, conhecido como Chifre de Ouro. Anexada ao Império Romano no ano de 73 e transformada em sua sede oriental, somente em 330 foi rebatizada Nova Roma pelo imperador Constantino. O nome não pegou. Virou Constantinopla, a toda poderosa capital do Império Bizantino. Depois disso, a cidade foi capital do Império Otomano até a Turquia declarar sua independência, em 1919

Hoje, a cidade de 12 milhões de habitantes está num momento particular. Mantém as belezas que lhe deram fama ao longo dos séculos, e, somado a isso, vive uma efervescência cultural. Graças à juventude rica que estudou nas mais cosmopolitas cidades europeias - Londres, Berlim, Paris - e trouxe de volta para casa um estilo descolado de viver a vida. Você vai se surpreender com a quantidade de restaurantes ultra-mordenosos, clubes noturnos bacanas, lojas de design e galerias de arte.

Curiosa geografia

Istambul espalha-se ao longo dos 35 quilômetros do Estreito de Bósforo, mas a maioria dos visitantes passa a maior parte do tempo no lado europeu e passeia de barco pelo Bósforo.

Apesar de 95% da população da Turquia morar no lado asiático do país, Istambul é considerada europeia e, segundo projeções, será a maior cidade da Europa em 2015. É a mais povoada da Turquia, com 15% da população, e economicamente mais importante. Mesmo assim, a capital política do país é Ancara. As contradições não param por aí. Apesar de a maioria da população ser islâmica, Istambul continua sendo o centro espiritual da Igreja Ortodoxa Grega, com 200 mil seguidores.

Istambul fica muito próxima do Mediterrâneo, mas não espere temperaturas amenas no inverno. Entre dezembro e março, tudo fica acinzentado, úmido e os termômetros estacionam nos 5ºC. Às vezes, neva. Já no verão, espere médias entre 25ºC e 30ºC. Por isso, as temporadas mais procuradas são a primavera e outono. Não é à toa que alguns dos eventos mais fervidos na cidade acontecem nessas épocas. Tome nota: o Festival Internacional de Cinema, em abril, e a Bienal Internacional de Istambul, em anos ímpares, de setembro a novembro. Eles definitivamente fazem jus ao apelido que os próprios habitantes deram à cidade: o lugar mais descolado do mundo.

Fonte: Uol Viagens


Roteiros

Recados

adorei o site,muito completo com muita informacao..muito legal eu e meu esposo somos fãs de fortaleza,adoramos a cidade, ela é ao nosso ver a melhor do nordeste..ai que saudade da quela terra maravilhosa....

edianave

adorei ..muito legal mesmo

VANESSA SANTOS

Notícias

Cely Turismo

Receba novidades